domingo, 25 de setembro de 2016

Luta Silenciosa



Sabes aquela sensação de quando entregas uma oportunidade a uma decisão, por natureza, porque na tua mente não fazia sentido de outra forma. Aquela sensação de que estás no caminho certo, e que as pessoas certas estão por vir.  Aquela sensação de que não estavas no sítio certo, com as pessoas certas, e de repente a tua rotina cansa e... Percebes que estás de volta, numa luta silenciosa com as sensações. 
As escolhas são inteiramente um risco, e desse género de riscos se faz a vida,  e por vezes, as mudanças são s piores de todos. Passado estes anos, percebi que as pessoas certas não estavam por vir, as pessoas certas estavam lá, tão perto de mim, que eu com a minha mania da insatisfação deixei fugir. Senti me com um pé fora do meu círculo infernal, e isso foi o suficiente para que mudasse os pontos e as cruzes, e afinal era tudo uma questão de tempo. 
Ultimamente, olho à minha volta, e percebo que as mudanças inevitáveis e as opcionais descruzaram se. Não queria tocar no assunto, não queria sequer escrever, nem para mim, nem para ninguém. É humilhante para mim lamentar o destino que desenhei. Mais humilhante ainda é ter o céu limpo e ter entregue a estrela mais bonita que o preenchia. 

2 comentários:

  1. Encontrei seu blog e é uma honra estar a ver e ler o que escreveu, quero felicitar-vos, pois é um bom blog, sei que irá sempre fazer o melhor, dando-nos boas noticias, e bons temas.
    Quero aproveitar a oportunidade para partilhar o meu blog : Peregrino E Servo.
    Vou ficar muito feliz se tiver a gentileza de fazer uma visita ao meu blog.
    PS. Se seguir, fique a saber que irei seguir também seu blog, deixe o link.
    António Batalha.
    Peregrino E Servo.

    ResponderEliminar
  2. "Quando as pessoas partem, elas não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós..."

    ResponderEliminar