quarta-feira, 27 de março de 2013


E está sempre lá, bem no fundo, bem no interior, a voz... Aquela voz... Aquele grito de saudade no silêncio. A raiva da separação das duas linhas de ferro, também das mudanças de direcção e de sentido das mesmas.   O afastar do brilho e ritmos de toque especial, as escuras nuvens sobre os locais permanentemente marcados, que mesmo bem escuros e húmidos, a tendência de sentar sobre eles e relembrar dias passados é quase uma certeza. Um pequeno sentir do bater da chuva sobre os ombros, chuva fria e ao mesmo tempo quase despercebida, quase nem visível ou provavelmente apenas uma comparação real de outra linha que escorre pela mais suave capa do rosto. Este é  o real e presente mundo de alguém que perdeu um pedaço de si pelo caminho e que vive da sua inexistência fazendo de um lugar marcante uma visita ao passado ...

terça-feira, 26 de março de 2013


Tem momentos na vida em que nos sentimos errados por cá, um pouco vazios e ao mesmo tempo cheios de lembranças, cheios de recordações que nos entristece, que dá luz à saudade e magoa, de forma que por vezes resulte num desligar do planeta. São os tais momentos em que perdemos o controlo das emoções e damos lugar ao sangue sensível que percorre o nosso corpo, que nos aquece e arrefece de formas estupidamente contrárias à nossa vontade. Alguém que me perdoe por ter ideias tão fixas, por ter opiniões definidas de há muito tempo, por lutar por as pessoas e coisas que acho que  poderão  me querer fazer bem. Alguém que me perdoe por dar tanta vida à paixão. Alguém que me perdoe por fazer e não fazer o que devia e não devia ser feito, pois eu não me consigo perdoar por ainda viver assim. Tento viver de forma diferente, tento dar lugar a um rapaz mais forte, no sentido de trancar as portas e conseguir manter coração no sitio, bem firme e protegido... Mas não é tão fácil assim de transformar os meus dias, de dar lugar a uma vida diferente,  a uma vida de adolescente que aparentemente é muito comum por aí, vida essa divertida,  com poucas preocupações, vida de assumir as loucuras e sentir adrenalina, gritar por diversão e chorar da anedota... Pelos menos para mim não é tão fácil assim de sentir na pele o poder da juventude.  Considero-me diferente, com as mesmas necessidades de qualquer jovem mas com maneiras diferentes de ver e fazer as coisas. Corretas ou não, é assim que eu sou, é assim que eu cresci, estas são as minhas consequências e/ou as minhas aprendizagens. Tal como o sexo é diferente da pornografia, o amor é diferente do filme, dos contos... E todos nós, hoje aqui presentes, sentimos isso na pele em várias situações do nosso dia. Todos nós temos as nossas cicatrizes, cicatrizes que só as pessoas que nos acompanham e estão a par dos acontecimentos é que tem esse impressionante poder de as visionar. Não é tarde para as remendar, não diria apagar, pois isso era o ideal mas não é possível por muito que queiramos, porque para que usemos o lado bom das "tragédias", que é a lição e o que realmente aprendemos, temos de carregar com a mesma "tragédia" para toda vida, más memorias, más recordações... É simplesmente a lei da vida, na minha opinião. Não é fácil sentir a pressão das folhas passadas, não é fácil sentir o cheiro do passado, mas temos simplesmente de dar uma nova oportunidade a nós mesmos, sempre, dar algo por nós. Podemos todos ser diferentes em questões de visão, de observação, de opinião, mas todos temos dentro de nós um coração, mais protegido ou não, mas todos temos, não podemos ser egoístas ao ponto de retirar este pensamento da nossa mente quando falamos alguma palavra ou fazemos qualquer gesto seja para quem for. E pronto, esta é a minha opinião sobre a forma como devemos enfrentar o que desenha o nosso caminho, pois por mais que pareça que não, podemos sempre aprender mais alguma coisa...

quarta-feira, 20 de março de 2013

Certo e Errado



Tira tempo para respirar e tentar compreender os teus atos, os verdadeiros motivos das tuas escolhas. Deixa a chuva cair, deixa o sol brilhar…. Ajuda as pessoas que merecem a tua ajuda, mas retira sempre um tempo do teu dia só para ti, um tempo para pensares no que está certo e errado, no que tens a menos e a no que tens a mais, no que precisas e não precisas... Apenas tira um tempo para pensar, pensar se realmente a vida que fazes todos os dias é a vida que mereces, é a vida que queres ter, se realmente é a vida que te faz sentir feliz...  Mantêm-te certo/a de que os teus passos são dados com maior certeza, e também se as pessoas que os dão contigo merecem partilhar o mesmo espaço que tu. Não percas demasiado tempo a tentar corrigir erros ou de certa forma a recompensar os dias de ontem... Opta antes por ver o que deves fazer na fase da vida em que te encontras, de acordo com o que está certo e o que te faz sentir bem, mas principalmente com o objetivo de conquistar um futuro melhor.

terça-feira, 19 de março de 2013


É curioso que mesmo a gente querendo ou não, só consegue perceber o real valor de uma pessoa quando a perdemos, ou pior ainda, quando vemos alguém a representar aquele que já foi o nosso papel. De facto é difícil de lidar com consequências não só provocadas por nós, mas também por quem demos tudo. Ir em frente não é fácil para quem não pode deixar de pensar em seguir outro caminho.... Não é fácil quando estamos em guerra dentro de nós mesmos, isto é,  da cabeça para o coração, do coração para a cabeça, e facilmente a confusão instala-se! Na verdade qualquer pessoa gosta de marcar um bom programa com alguém, ir ao cinema por exemplo... Assistir aquilo que toda gente desejava que fosse realidade mas na verdade só acontece mesmo na televisão... Esses filmes, essas histórias, que sem dar-mos conta estão a destruir sempre mais um pouco da força que temos vindo a criar ao longo do nosso caminho. Sim destruir, porque quer queira-mos quer não,  uma parte de nós acredita sempre naqueles gestos mais lindos e perfeitos que passam nessas gravações, essas gravações que incluem tudo de mais perfeito, desde a trocas de olhares em circunstancias especiais, em locais adequados, a  diálogos mais românticos que acabam sempre por terminar num final feliz. Infelizmente, não é o acontece, é muito bonito de ver, mas não é o que acontece. Por vezes paramos para pensar, e reparamos que por vezes o nosso maior inimigo somos nós mesmos, por permitir certas coisas, por ir aquele lugar e não ao outro, por simples coisas que podiam ser feitas de uma forma diferente.

domingo, 17 de março de 2013


Descer a rua a contar os carros, a pontapear as pedras e a desejar o arco íris, a desejar cor à imagem que se forma. Lá, naquele sitio mais carinhoso do que qualquer outro, onde só lá nos sentimos protegidos e seguros, simplesmente à vontade para dar lugar às lágrimas e aos gritos silenciosos. Onde podemos pensar em nós ou no que está dentro de nós, sobre os contos, as canções desafinadas e as conversas em tom de voz suave.... Ou simplesmente a relembrar aquele silêncio que tomava maior parte da chamada por telemóvel. Silêncio que dava lugar a milhares de pensamentos que nos atravessavam a cabeça em fracções de segundos. Tem sempre um sitio certo, e é preciso saber lidar com isso mesmo, é preciso saber estar seja onde for, tem um lugar certo para dar a gargalhada como tem o lugar certo para libertar as tristezas.... Tristezas que tanto mexem connosco, que tanto desviam os nossos pensamentos, mas que devem ser enfrentadas e de certa forma escondidas por um sorriso, por muita força interior para não deixar que o mundo consiga ler o nosso verdadeiro estado, sem que queiramos pelo menos... Pois o melhor que podemos fazer, é guardar os desabafos para as pessoas que realmente merecem ter um lugar no nosso coração, pessoas que realmente mereçam a nossa confiança. Toda gente caí e levanta, mas tal como para levantar, é preciso saber cair... No sitio certo, há hora certa, com as presenças certas... Dar tempo ao tempo, é o melhor a fazer, não ter vergonha e saber ir em frente.  Devemos principalmente lutar para salvar o nosso mundo e não esperar que o façam por nós!

sábado, 16 de março de 2013


Um livro aberto para os olhares desejados, com a felicidade e infelicidade dos sonhos e pesadelos. Em cima do palco ou a baixo da plateia, lá estou sempre, na minha posição, a escrever para as melhores pessoas. Falo do passado e do presente, ou do que poderá acontecer, sem grandes planos, sem grandes esperanças, pés sobre realidade e com a balança na mão. Varias promessas envolvidas, sobre riscos e decisões importantes, sobre esperanças e dias brilhantes, sobre variados sentimentos incontroláveis  Poucos são aqueles que tem a coragem de conseguir a insistir naquilo que já quase nem acreditam, poucos tem essa capacidade de sorrir para alguém que só dá motivos para chorar, poucos tem a capacidade de conseguir fazer sorrir alguém que está mal... mesmo estando a viver um dia complicado, por entre uma tempestade e cabeça a explodir. Mas menos pessoas ainda tem a capacidade de valorizar estas atitudes dificeis e no fim recompensar todo o esforço dos tempos passados. Maiores são aqueles que mesmo durante essas fases menos boas, procuram um caminho de saída, e depois disso, conseguem sair com forças e traçar objectivos levados a sério e com sempre mais um pouco de experiência. 


Amor?
Bem isso é difícil de explicar, porque na verdade, não tem uma explicação exacta. Para mim, o amor é um coração quente e um conjunto de erros prestes a ser cometidos, é muito mágico e ao mesmo tempo trágico. É cuidar mais de alguém do que de nós próprios, é lutar pelos objectivos da pessoa amada e por vezes, esquecer os nossos. É a valorização das desvalorizações das pessoas que não sabem viver uma relação,de pessoas que vivem atirando declarações constantemente por aí.... O amor é quando alguém faz as coisas mais simples e mesmo assim desperta toda a atenção de alguém. Quando ama-mos... tudo parece que ganha cor, as árvores parece que dão um outro ar, a chuva virá um motivo de dança...Nasce assim motivos para chorar de rir e por vezes rir para não chorar. Motivos esses partilhados entre estrelas mas muito difícil de lidar. Também tem o poder de subir a auto estima, e muito provavelmente é a sorte... ou simplesmente as recordações de um dia mais tarde. Nem sempre corre bem, mas quando isso não acontece, é porque existe uma necessidade maior de equilibrar toda felicidade que vivemos, fazendo do estado normal a nossa média de vida. Se uma vez não resultou com uma pessoa, das duas uma.... ou essa pessoa não é definitivamente a pessoa certa, ou então um dia mais tarde vai voltar e provar o porque de não ter resultado nesses tempos...  Amor é por vezes a nossa maior pedra e outras vezes o nosso sorriso e motivação. É isto mesmo, uma incerteza, um sentimento verdadeiramente incontrolável e muito poderoso sobre nós....

segunda-feira, 11 de março de 2013


Preso ao chão, gostava de não ter de ouvir mais as vozes que me assustam e me deixam nervoso, com corpo algo de irrequieto, e pensamentos que me cansam sempre mais um pouco ao longo do dia. Dormir descansado, sem a invasão dos problemas nos meus sonhos, que acabam por torna-los em pesadelos. Gostava de saber acordar a sorrir, como antes, sem ter dificuldades em levantar e viver aquela que é a minha rotina, sem quaisquer problemas, sem ter de me esforçar para realizar as mínimas coisas... Sem que alguém perceba que não estou assim tão motivado quanto isso. Seria bom que nada importasse, que os impactos viessem dos actos mais bonitos simplesmente. Rezamos pelos impossíveis, e vemos pessoas todos os dias a pontapear os possíveis, isto sim é qualquer coisa de injusto, é qualquer coisa de difícil compreensão. Pois lutamos por tudo, e outros tem tudo sem lutar por nada... Há milhares de coisas que vivem se transformando em perguntas e mais perguntas, tenho vivido de pontos de interrogação, e isso, sem duvida alguma, é mais péssimo do que possa parecer.

sexta-feira, 8 de março de 2013



Por vezes o presente resume-se a dificuldades que nem todos os olhos perdem tempo em ver. Com esta publicação quero provar isso mesmo. Vou contar uma pequena fase de um rapaz, que infelizmente pode identificar-se com muitas outras pessoas ...

O futuro é incerto e tudo que ele precisava era a sua companhia. Todos os dias após chegar a casa, sempre muito exausto, ele pegava a chaves do carro e saía conduzindo... Sempre com o mesmo destino, dia após dia... Aquela rua deserta que o isolava de todo mundo. Sentado observava as estrelas e contava os dias...Recordava o que teve de melhor e ao mesmo tempo morria de raiva, pois desejava por momentos arrancar os olhos ao coração, ou tentava simplesmente inventar uma outra solução qualquer de forma que apagasse da cabeça tudo o que tinha passado, em anos anteriores. Era uma mistura de pensamentos, era uma mistura de sentimentos incontroláveis... Estes que o levavam a regressar aquele sitio todos os dias, isto apenas para que as pessoas não pudessem perceber o que sentia. Ansiava o dia em que pudesse sentir o seu corpo novamente. Na verdade, ele sabia que esse dia não iria chegar, e talvez também estava consciente de que essa não era a melhor opção, mas esse desejo apoderava-se de tudo, mesmo estando certo ou errado. Mas ansiava sim, perdia horas ali a pensar nas coisas que poderia ter corrigido, arrependia-se de não ter dado o devido valor para aqueles que hoje vêm a ser os seus melhores momentos vividos. Ultimamente procurava apenas dar estabilidade à sua vida, dar um rumo aos seus próximos dias. Vivia das suas opiniões, e as suas escolhas diziam isso mesmo. Desejava não ter de segurar o guarda-chuva naqueles dias frios e chuvosos de Inverno, simplesmente preferia ocupar as suas mãos com algo mais belo, como sentir a pele mais suave daquela que era a mulher de que sonharia todas as noites. Quando abraçava aquela mulher, era como se a Terra se aproximasse sempre um pouco mais do Sol, ficava mais quente e luminoso, eram sem duvida alguma, os seus melhores momentos. Momentos que o deixavam com um sorriso algo de estranho, estranho pela tanta felicidade que demonstrava. Com um olhar alegre e um sorriso tão intenso que contagiava as pessoas que se aproximavam, de forma a que essas pessoas quando olhassem seu rosto, sorrissem também. Mas tudo foi-se perdendo, tempos mudaram e ela deu outro rumo à sua vida, optando por outras escolhas. E  hoje ele apenas tenta recuperar e tentar fechar os olhos ao passado... E com esse objectivo, acorda todas as manhãs e tenta imaginar um dia diferente....

quinta-feira, 7 de março de 2013



As conversas, as gargalhadas, as saídas, todo o esforço feito para não baixar a cabeça durante o dia, durante a presença da multidão, isto tudo não resolve qualquer problema, mas de certa forma, ajuda...Não faz esquecer, de maneira nenhuma, mas tem algo de bom, habituar a viver sem o que perdi. Não a viver bem mas começar a viver de novo, o que hoje pode parecer apenas uma folha, amanha pode voltar a ser uma árvore... O mundo escureceu e as ruas esvaziaram, não na realidade mas na imagem que se forma nos meus olhos. O vento sopra mais forte, e a calma surgiu em demasia, procura-se paz, não dias cinzentos mas infelizmente o que não convém sobe e o que preciso desce, é o que acontece, é o acontecimento mais repetitivo de ultimamente.  Não devemos sequer atrasar o numero de paginas da nossa vida, mas eu de certa forma sinto-me controlado por algo que ainda não me largou... Algo que atrasa-me todos os dias... Algo que me obriga a revirar as folhas constantemente...Algo que está morto mas não enterrado, aparentemente desaparecido mas muito presente. Isto sim, faz a minha mente recuar na história e entrar nesses dias passados sobre lembranças... Que dão voz à saudade e amor e que acabam com um aperto, um verdadeiro sentimento incontrolável de dor. Está certo que nada que valha a pena é fácil, mas nem tudo aquilo que se encontra  que seja difícil significa que vá valer a pena, pois por muita força de vontade que tenhamos, o mundo não anda à velocidade que queremos, não gira no sentido que queremos, portanto  a facilidade pode não ser o melhor caminho mas a dificuldade pode também não ser, é uma questão de sorte, mas principalmente coragem de assumir as escolhas. O nosso sorriso, em grande parte, depende de nós, pelas conquistas a que fomos capazes mas não só, pois essas conquistas são o motivo do nosso sorriso de uma forma clara.... Quero eu dizer que, qualquer que seja o sorriso, na minha opinião, parte das marcas que as conquistas deixam ao longo do nosso caminho. Temos todos um caminho livre, vivemos de um jogo, constituído por vitórias e derrotas, e se hoje eu perdi muito, amanha a sorte pode ser minha. Com tantos acontecimentos relembrados, com mais palavras, hoje acabo o meu dia com uma pergunta :
 Sou um mau rapaz, por ter feito tanto mal a mim próprio ou por deixar que o tenham feito?





Não devemos criticar ninguém que chora, até pode ser uma infantilidade, pode ser por um motivo aparentemente estúpido, pode ser apenas uma fase da idade, fases de crescimento, mas na minha opinião isso pouco tem haver com a questão. Na minha opinião a grandeza dos problemas não está totalmente nos acontecimentos, está sim em grande parte nas suas consequências, quero eu dizer, no impacto que tem sobre as pessoas envolvidas. Não é a idade que vai ditar o tamanho do problema, muito menos as pessoas que tanto os desvalorizam e abrem a boca sem sequer estar a par do assunto. Portanto, a voz de alguém quem sofre, não merece opiniões de quem não entra no livro.

Relembro horas passadas num banco de jardim, que não é apenas um banco de jardim e só eu sei o quanto aquele material trabalhado significa para mim, o valor que tem para mim... Sentado nesse banco, eu questiono-me o porque de teres partido assim, o porque de teres feito nascer algo em mim, algo que tomou lugar de muitas outras coisas, tomou lugar de grande parte da pessoa que era. Porquê? Porque fizeste nascer algo que por fim virias matar? Ficou um espaço grande e vazio, que não pode ser preenchido por mais ninguém, não haverá ninguém que vai ter aquela pessoa que um dia fizeste de mim, não haverá quem substitua a pessoa perfeita que foste comigo em tempos, quero eu dizer, a pessoa que fingiste ser, pessoa que meu coração viu e que na verdade não existia. Aqui está, deixas-te a tua marca dentro de mim, só tenho mesmo pena que esteja a preto, que esteja negra e vazia... Sim, isso mesmo, vazia!

segunda-feira, 4 de março de 2013

Simples Vontades


Talvez o sol não tenha deixado de brilhar, talvez apenas se tenha formado uma nuvem que me impede de ver o seu brilho, que impede de iluminar os meus dias. Nuvem essa, muito negra e carregada de falsas esperanças, carregadas de desilusões. Que liberta uma chuva de pedras duras de uma forma incontrolável, em resposta a laços que ficaram por atar, ou simples janelas por fechar. Existem vontades de ouvir as ondas a bater nas rochas e ver famílias de forma simples a desfrutar da proximidade, do o ar e do cheiro, do vento refrescante com pequenas gotas de mar frio. Gosto de ver pessoas sorrir enquanto distraídas, olhar para uma simples folha de papel ou para um outro qualquer insignificante objecto. Gosto mais ainda de sentar na mais alta rocha que existe em toda praia e ver pessoas, ver dedos entrelaçados e passos em sintonia, aquele caminhar lento à beira mar, com cabelos levados pelo vento, e esse vento como desculpa do maior encosto apertado e apaixonado.... Simples gestos com longas histórias, inúmeras palavras sussurradas ao ouvido, com lindos e fortes olhares e tudo de mais romântico que possa existir. Com tudo que vejo, ficou difícil de ver isto, ficou difícil de ver pessoas a dar oportunidade à vida de lhes mostrar o que tem de melhor para lhes dar. Simplesmente é difícil de hoje em dia encontrar pessoas assim, vivemos numa geração estranha, que valoriza as coisas com menor valor, e que todos os dias insiste em matar aquilo o que pode existir de mais perfeito.

domingo, 3 de março de 2013



O valor da amizade é incomparável :)

Qualquer barco precisa de mais que um remo para seguir em frente, assim como nós precisamos de certas pessoas para nos ajudar a ir em frente e viver com riso em voz alta. Na vida vence quem persiste e nunca desiste, mas para ter esta capacidade é necessário os nossos maiores valores por perto, isto é, é necessário sentirmos que não estamos sozinhos, sentirmos que temos sempre alguém pronto para nós, seja para nos fazer rir ou para nos ver chorar…. Por vezes as palavras de apoio não são o gesto mais importante, mas sim as pessoas que nos dizem essas palavras. Gosto de estar rodeado de pessoas que me percebam, gosto de sentir que quem está à minha volta está a tentar entrar naquela que é a minha história, quero eu dizer, a tentar porem-se no meu lugar e com isso conseguem perceber o que sinto, por vezes. Nem sempre é tão fácil assim, mas já é uma alegria enorme ver o esforço que fazem para ver o nosso sorriso, e por isso, as minhas amizades eu vou valorizar, sempre! É importante ter alguém que esteja sempre pronto para nos ouvir ou simplesmente para nos levar a fazer as maiores loucuras, as coisas mais estupidas, ou simplesmente juntar-se a nós a fazer as coisas mais infantis… Como dizer coisas sem sentido algum, rir sem ter qualquer motivo logico. Na vida perdemos e achamos muitas pessoas, mas aquelas que ficam sempre, terão sempre uma palavra a dizer naquelas que são as minhas escolhas, terão sempre uma opinião minha, terão sempre um conselho meu de amigo, que por vezes podem parecer os mais difíceis de seguir, mas é tudo com um objetivo de melhorar ou corrigir aquilo que está errado. Estrela que é estrela não brilha sozinha, e por isso, todos os dias apesar de todos os meus azares, apesar de todos os meus piores momentos do passado e aquele que estou atravessar, apesar de tudo isto, eu agradeço muito pelo facto de ter as pessoas que tenho comigo. 


Hoje escrevo não para a tua melhor interpretação, escrevo apenas para mostrar o que me vai no coração, apenas apetece-me contar o que não devia contar. Mas eu vou contar, porque eu preciso de contar, porque o que estou a viver não passa de uma história  que por vistos terminada e  alma recaída, e por isso não tem mal nenhum que eu diga seja o que for. Não tem mesmo, até porque não tenho grande coisa a perder caso o faça. A cada segundo que passou o teu tempo esgotou, e o teu objetivo espero que tenha sido alcançado, pois decidido já está. Podes ter muita coisa na vida, que vais ter sim, mas nunca vais ter aquilo que eu te dei e estava disposto a dar, pelo menos da mesma forma que eu poderia dar-te, isto é, com o incomparável sentimento em voz alta. Pois, parece que chegou o momento que passaste a ser de um objetivo e um sonho, a simplesmente um problema, algo que eu quero esquecer, algo que não quero não sentir mais, não quero nem olhar mais, eu enchi, de coisinhas sem sentido, de promessas não cumpridas, de falsas esperanças, de falsas atitudes, falsas palavras, passou muito para além daquele que devia ser o limite. Abri muito o meu leque de esperanças, acreditei demais naquilo que era mais que óbvio que não iria acontecer. Aqui está, eu e tu, com muitos momentos por contar, péssimos e mágicos  eu e tu que era nós, e agora passou a zero outra vez, só que agora, com história, com um passado. Desde aquele dia que partiste, não a pessoa que és, mas sim a pessoa diferente que um dia eu conheci, que um dia deu uma palavra ao amor e sorriu com tudo que tem, isto tudo que desapareceu, desde esse dia, eu não sei mais do que tristeza, não sei mais do que saudade… Mas se já eu perdi essa pessoa, que simplesmente não vai voltar nunca mais, porque estou eu aqui a magoar-me todo santo dia? Eu mereço viver assim? Se eu sofro por ter pedido, porque estou aqui a procurar aquilo que não existe mais? Estou simplesmente a gastar tempo, estou apenas a desperdiçar a vida, pois podia estar simplesmente a tentar voltar a viver, e em vez disso ando aqui a procurar aquilo que não existe mais, a procurar no vazio. Alias andava, pois aqui deixo o meu ponto final. Espero mesmo que esta seja minha última palavra para ti, agora não haverá mais nada para além do silêncio. 

Nada se perde, tudo se transforma. Quase nunca naquilo que gostávamos que se transforma-se, mas sim no que está maior parte das vezes certo. Certo para o nosso futuro, para o nosso viver. Vivemos num universo feito e descoberto por almas iguais e pensamentos diferentes. As escolhas caí sobre o caminho de cada um, com a forma de lidar com quem entrou na nossa história, na desvalorização de momentos que apenas falam para nós em alto e bom som, mas apenas quando já partiram. Pisamos a alegria de quem mais faz por nós, pela incompreensão e dificuldade de ler para além da mente.  Somos como estrela, tempo de vida e luz própria, e não devemos fazer disto uma incerteza mas sim o nosso ataque aos maus sentidos. Há que viver o dia de hoje melhor que o dia de ontem, pois ele podia estar simplesmente a decorrer sem a nossa presença. Tem dias que não acredito no que vivo, não acredito na vida que tu queres para ti, na vida que me dás, não acredito mesmo. Acordo todos os dias e fico sempre uns minutos na cama em pleno escuro a questionar-me o porquê de isto ser assim, pergunto-me o que podia ter corrigido, o que fiz para merecer isto. Questiono-me se realmente seria capaz de hoje poder merecer que realmente continuasses a ser aquilo que um dia foste para mim… Se era capaz de fazer-te viajar comigo pelo mundo, mundo que já foi só de nós os dois, com alegrias e tristezas, conversas mais românticas e discussões mais estúpidas, variadas  reações  variados sentimentos, variadas palavras mas todas por o motivo de uma AMOR. Escrevi até aqui sem falar nas batalhas que ganhei mesmo nos meus dias escuros e incompletos  Sou simplesmente a calma de todos os acontecimentos, e faço disso um valor que me pertence e só eu sei o quanto essencial é , pois pode estar a evitar aquele que pode ser o maior erro. Recordo o que passei, imaginei, sonhei e conquistei e que após toda corrida, perdi. Perdi com toda facilidade do mundo, bastou um respiro mais acelerado e um aperto maior, aperto esse que se desfez em palavras e me deitou para baixo, desmotivou um pouco os meus dias, e quando mais precisei tu deste para fora, e todas as tuas atitudes e a falta de presença criou o nosso fim, e hoje a única coisa que tenho são recordações que escorrem-me pelo rosto, por tudo aquilo que ficou e que não aguento mais guardar dentro de mim. Pensei que poderia ser tudo perfeito como parecia, mas nada é perfeito, e por muito que eu quisesse, o que vivi, era inevitável, pois o meu coração era a minha maior voz, a minha maior força, levou-me ao desespero, levou-me ao fundo do poço, e hoje estou aqui, com tudo aquilo que acabou encaixado dentro de mim, com tristeza, muita tristeza. 


Somos todos reféns da guerra da vida… Sem data e hora marcada, vivemos do inesperado. Pessoas vivem mostrando o que atrapalha, vivem mostrando o mal, sem procurar o ar de oportunidades que sem dar conta respiram. Pessoas vivem simplesmente mergulhando em águas sujas, águas passadas, mesmo tendo um mar natural e limpo mesmo na frente. Vivem da noite quando o sol nasce todos dias… O caminho mais rápido da ruína é aquele que está em direção contrária da vingança. E vingança, é sim a forma como nos devemos sentir, em relação ao que nos fez mal no passado, não com violência virtual ou pessoal, mas sim sentimental e emocional, com atitude positiva. A existência é o nosso maior forte por isso que ninguém venha me dizer que não temos força, que nada vale de nada, que ninguém me diga isto, pois a existência supera qualquer que seja a desilusão. Alcança a esperança e não o dano, alimenta o amor e mata o ódio, faz do teu passo uma porta que sirva para entrar, não para sair. Contenta te com o que tens, não percas nenhum único segundo a lamentar o que tiveste, gasta esse teu tempo com o que tens, em vez de  lamentar. Faz do teu tempo uma oportunidade, não queiras passar o amanha a desejar o dia de hoje. Somos todos atacados pelo arrependimento, de uma forma por vezes desesperante até, mas nunca devemos andar de olhos para o chão, pois temos algo muito mais belo à nossa frente, que por vezes não observamos, simplesmente em causa das ideias mais estúpidas que riscam e desatinam a nossa mente. Corremos preocupados com os nossos bens perdidos, sem seguir as dicas que tanto aqui falo, de olharmos por nós também. Considera um erro não abrir as portas para o que desejas mas sim contentares-te com o que não te faz sorrir, com o coração! 


Não sou mau, nem sou bom, apenas não gosto de viver sobre indecisões, gosto de ter as minhas certezas, gosto de saber para que lado me virar. Preciso de saber qual a direção para qual me devo virar, preciso de traçar objetivos, preciso de saber quem está comigo e quem não está mais comigo. Não posso viver a tropeçar sempre na mesma pedra, não posso viver revivendo aqueles que são os meus erros. Não devo depender de ninguém, alias não devia depender de ninguém… Só queria ser capaz de controlar o meu lado de dentro, só gostava de ser capaz de muita coisa. Mas não, não é possível  por isso, resta-me arranjar uma outra forma de escapar às tristezas. Não quero apagar o passado, mas quero formar um presente melhor, quero melhor para mim, quero muito mais do que vivi até hoje, quero mais. Não quero retirar ninguém do meu passado, mas só vai continuar comigo, quem fizer por isso, quem merecer a minha atenção, a minha amizade. Vou lutar para voltar a viver, quero voltar para o mundo, quero rir muito, quero divertir-me muito, chega de viver de rastos, está na hora de fazer algo por mim mesmo. 


A escrita é muito mais que simples palavras, é o reflexo do nosso interior, são os nossos sentimentos transformados em frases inspiradoras.  Lições de vida ou apenas o reflexo dos nossos atos. São o espelho do que nos vai na alma, as provocações da vida ou então a esperança e a imaginação que viaja por a nossa mente. Talvez a nossa única forma de enfrentar a vida e provar ao mundo que não somos tão fracos assim, pois a força está em todos nós. As quedas não são para pessoas fracas mas sim para pessoas com sentimentos e que lutam por sorrisos verdadeiros, pois só erra e caí quem tem objetivos e atitude. A leitura é como viver, em mil frases vai haver sempre uma que se vai destacar, e na vida é igual, em mil males irá sempre surgir o bem, esse que poderá  fazer todo esforço valer a pena. Somos todos diferentes e ao mesmo tempo todos iguais, todos nós vivemos um pouco de tudo apenas lidamos com as coisas de forma diferente, todos temos problemas, todos temos valores, todos sorrimos e choramos, choramos por vezes de tanto rir e sorrimos por vezes para não chorar… ou também choramos por sufoco ou desespero ou rimos pelos motivos mais estúpidos por vezes.  Todos temos o nosso próprio brilho e não há ninguém que nos pode tirar. Somos uma luz que só quem quer é que consegue ver, só quem quer é que consegue valorizar, e esse brilho, não devemos nunca deixar que as atitudes más dos próximos consigam cobri-lo. 


Pois é, parece que hoje e o dia do amor. O dia em que todo namorado corre pelas ruas fora desesperado por encontrar a porcaria de uma florista… tudo para não chegar atrasado perto da sua princesa, tudo para lhe oferecer uma rosa e ver aquele que é o seu sorriso favorito. O dia em que atenção cai sobre as pessoas que são felizes, juntas. O dia em que todo casal agradece a Deus por ter a sorte de poder ter ao lado a pessoa que ama, por ter a sorte de a poder ouvir dizer as palavras mais absurdas, as piadas mais estranhas, ou ate mesmo rir pelos motivos mais estúpidos e sem sentido algum. O dia que aparentemente e um dia normal, mas que em qualquer casal fica marcado, como primeiro, segundo ou décimo dia dos namorados que celebram juntos, por mais um momento especial, mais um gesto, mais um dia a recordar. Ou então o dia dos derrotados para muitos (…)  Parabéns a quem tem oportunidade de estar com quem ama e poder sentir um olhar *

É difícil para toda gente não ver o que está à frente de nós. É difícil para toda gente não conseguir entender o que acontece connosco às vezes. É confuso não saber do que temos saudades, o que queremos, mas pior ainda é não conseguir perceber o que precisamos e o que queremos ser. Perdemos horas a pensar em nós, no que na nossa mente ainda nos pertence mas para que? Penso que toda gente pensa um pouco em qualquer coisa antes de adormecer, toda gente imagina em acordar no dia a seguir e viver algo diferente, de um jeito diferente, talvez com pessoas diferentes, ou então as mesmas pessoas imaginando-as de um jeito diferente. Apesar de o fazer, acho que não devemos, pois todos os planos que fazemos antes de dormir, acabam por nunca se realizar, acaba sempre por cortar-nos mais uma linha de força e criar sempre mais um espaço dentro de nós que acaba por ficar vazio. Imagino-me  acordar no dia a seguir, diferente, poder viver sem aqueles que são os meus defeitos, não físicos mas psicológicos… gostava de poder sentir mais valor em mim mesmo, gostava de ser visto com outros olhos por pessoas que gosto, gostava a cima de tudo de ter mais orgulho em mim, de não mudar com memorias más, gostava de voltar a ser a pessoa bem disposta, animada… feliz, como já fui antes. Dava tudo para poder ter um dia a meus gostos, sem problemas, sem tristezas, sem esforço. Apenas gostava de ter um dia diferente, sem qualquer tipo de dificuldade de conversar, de sorrir, de caminhar…. Sentir valor, só isso.


Não sou um lutador ao acaso, sou aquele tipo de rapaz que quando acredita em algo, luta por isso… não existe motivo maior do que deixar de acreditar, não para desistir mas para virar a página suja. A vida é curta demais para vê-la passar sem aproveitar cada único segundo, porque cada segundo é uma oportunidade, oportunidade de viver um momento, e viver um momento é que sim, é para mim  viver. Não me arrependo dos erros que cometi, não me arrependo das atitudes que tomei, não me arrependo de nada disso, mas arrependo-me de ter-me rebaixado, arrependo-me de ter baixado a cabeça para o mundo, por motivos ou pessoas que não mereciam. Fui egoísta comigo mesmo, e saí sempre prejudicado por isso, e isto é um erro ou melhor, algo a corrigir no futuro. Como já falei em textos anteriores, não devemos planear o dia de amanha mas na minha opinião podemos sim planear sim a forma como devemos encarar o presente e o que se segue. Estar preparados para o pior, e motivados para lutar pelo melhor. O melhor já depende de cada pessoa…  mas para mim, o melhor é poder ter perto a família,  é poder sentir a presença de pessoas que gostam de nós, ter oportunidade de mostrar do que somos capazes, ter oportunidade de lutar por um futuro nosso, é sentir a presença dos amigos, sentir o apoio e o conforto que só nós sabemos. Ser valorizado por quem merece ser valorizado, e nunca deixar que a nossa felicidade dependa apenas de uma pessoa só. É difícil esquecer que por trás da folha que viramos, estão muitas mais, riscadas, amachucadas mas estão lá, com momentos, com histórias, recordações boas e más… por vezes é difícil passar por cima disso, é, mas a vontade de ser feliz tem de superar, em qualquer hora, em qualquer lugar. Aqui vai o meu conselho, nunca te deixes tropeçar em pedras colocadas por seja quem for, nunca deixes que o sentimento que tens por essa pessoa faça com que tenhas medo de  lançar a pedra de volta. Vive com quem quer viver contigo, sorri com quem te dá apenas motivos para sorrir. O que está para trás são horas passadas que não se vão repetir, por isso mantém os olhos em frente e enfrenta o amanha, não sintas saudades do que não resultou, não penses se podia ter sido diferente, apenas vive o amanha. O melhor ainda está para vir … 


Dou por mim a ler, ler e voltar a ler aquelas que foram as melhores troca de palavras. As melhores palavras que já li, aquelas que podiam ser ditas por todas as pessoas do mundo, mas só pelo facto de seres tu, já tinha um doce e um carinho especial toque aqui dentro. Palavras que sempre causaram um impacto que nunca antes tinha sido sentido. Tudo isto marcou, marcou a minha vida, mudou aquele que era eu, e aquele que sou hoje. Foram bons tempos sem dúvida, quero eu dizer, foi o especial momento alto que já alguma vez vivi. O que nos define são as consequências de todas as escolhas feitas, por nós ou por as pessoas ou pessoa que nós dependíamos. Sentado no passeio, vendo os carros passar, eu  questiono-me milhares de vezes, se foi errado ou foi certo? Hoje eu fiquei com um medo maior de olhar o futuro, apesar de acreditar, estou consciente de que não é algo que devemos pensar, imaginar, não sonhar demasiado alto pois sairá uma desilusão maior. Por muito que eu afirme para o mundo que morreu, por muito que eu não queira mais, não vai morrer e não será recordação para mim, para o mundo talvez, mas para mim, não será recordação, apenas a pessoa com quem eu queria viver já não existe mais, não existe… mas tudo que aconteceu está aqui comigo e vai ficar comigo para sempre* 



Esta noite? 
Esta noite eu fiquei confuso, eu fiquei com as minhas estrelas cobertas, com a minha lua escondida, com os meus objetivos transparentes, com os meus sonhos inexistentes… Foram más escolhas? Foram más atitudes? Foi preocupação a mais? Empenho a menos? Foi amor demais?  Ciúme demais? Medo demais? ou foi apenas uma troca de olhar, que em segundos me transformou noutra pessoa? Transformou sim, não tenho muitos anos de vida, olho-me no espelho e sei que sou um rapaz, ou melhor, apenas um jovem adolescente que atravessa uma  má fase na vida. Aquela fase em que toda gente atravessa, em que parece que tudo não vale mais a pena, em que parece que é o fim do mundo. Sim, eu sei… mas não é por isso que deixo de ser um humano. E a vida de todos nós, é diferente, dependendo da sorte, do azar, das escolhas, das opções, das pessoas, dos lugares, mas principalmente da luz e do escuro que ilumina ou faz desaparecer o que está mais à frente da estrada onde caminhamos, isto é, os nossos objetivos, as nossas metas… Por vezes eu parei, mesmo quando tudo estava bem entre nós, eu parei… Com amor, medo e felicidade…  eu olhei o futuro, eu imaginei o futuro, eu senti-me capaz de realizar todas aquelas coisas simples mas perfeitas, que só contigo eram possíveis… E hoje, simplesmente não consigo parar, porque vivo parado, uma parte de mim, está longe daqui, está em algum sitio, que ninguém conhece, que eu não conheço, simplesmente está longe… Tudo veio junto, e sinto-me menos capaz de qualquer coisa, as horas vão passando, e eu perco apenas mais um valor, daqueles todos que pareciam ter nascido com momentos, momentos de orgulho em mim, por ter conseguido realizar e ir lá cima ao topo e sentir aquela sensação de  explodir de bem estar para com tudo que estava a meu redor.. mais magico ainda, foi ver o  brilho do teu olhar, provocado por mim… brilho esse que nunca mais voltarei a ver, nunca mais (…) É passado, mas está aqui presente comigo, e vai estar sempre, dentro de mim, dentro da minha cabeça, do meu coração, simplesmente está aqui dentro.  


Hoje apenas  apetece-me escrever, não interessa se faz sentido ou não, só quero escrever um pouco… Porque escrever faz ficar ligeiramente mais calmo, porque escrever faz-me pensar de um jeito mais organizado, faz bem, faz com que deixe o tão “agressivo” mundo por uns minutos.. O momento também é esse, é tudo de pernas viradas do avesso, é tudo fora do lugar, é tudo desorganizado… Desvalorização das pessoas, ou o real nosso valor, que sobe e chega ao alto da montanha e que quebra sempre uma parte da força que nos pertence… Por vezes passa-nos as maiores loucuras pela cabeça, as piores formas que corrigir qualquer coisa, de matar qualquer dor, passa-nos as piores formas de derrotar o derrotado. Dá vontade de abrir a porta e caminhar por aí fora, sem destino… Por ruas vazias… Dá vontade de não querer saber de seja o que for… Meter uma boa musica, bem alto, e nem sequer preocupar em ouvir os carros, as pessoas, o mundo… Simplesmente correr o risco de não querer saber… 
Sempre procuro uma forma de encontrar a motivação pelo meio da escuridão, mas fica um pouco improvável de o conseguir encontrar… pois o que desmotiva vai cobrir qualquer motivação que possa surgir. Apetece-me ficar sozinho, não falar com ninguém, apetece-me pensar, apetece-me parar um pouco, apetece-me escutar o que vai no quarto escuro e vazio. 


As traições da vida são as fases da vida a que damos como dispensáveis, mas que no fundo são essenciais…. essenciais para exercer um maior peso sobre nós, peso esse que vai forçar-nos a cair sobre a realidade com ambos os pés. Fica muita coisa por explicar, e a verdade é que a cada minuto que passa estamos a perder sempre mais um pouco e ganhar sempre mais um pouco, daquilo que é ou era nosso, ou daquilo que no fundo nunca foi nosso. Tempo perdido é ficar a lamentar isso mesmo, pois a gente só poderá fazer melhor e corrigir aquilo que foi errado, dando uma nova oportunidade a nós mesmos… uma oportunidade não de mudar o passado, muito menos tentar recuar ao passado, mas sim de poder fazer novas escolhas. Por vezes olhamos à nossa volta e achamos que tudo está errado, as pessoas estão erradas, achamos que tudo é mais um problema… mas um dia devemos acabar por perceber que não é tanto assim, devemos aprender a lidar com o que nos rodeia, com aquele que é o nosso dia a dia, e aí talvez teremos uma opinião diferente acerca de tudo que está à nossa volta. Não me esqueço de coisas que ouvi, de coisas que falei, não me esqueço de coisas que prometi e não cumpri, não me esqueço das coisas que deixei por fazer, ou melhor, das muitas coisas que eu gostava de ter feito… Simplesmente não esqueço. E por vezes a revolta, a dor ou a raiva e toda confusão que vai no interior, parte daí mesmo, de não ter sido capaz de ter feito melhor, de desiludir as pessoas próximas e até nós mesmos. Torna-se sempre um pouco mais difícil cada dia sem aqueles momentos de gestos simples mas únicos e que me motivavam para qualquer coisa, que me davam sempre força para qualquer problema, que me faziam sentir bem comigo mesmo, ou que simplesmente faziam ter uma outra visão sobre o mundo, sobre aqueles que são os meus dias. Posso estar aqui a tentar aconselhar-me a mim próprio, ou a dizer o que talvez está correto, o que devia ser feito, mas na verdade nunca é tão fácil assim de seguir estes caminhos…. A vida pode ao ver de muitos não ser tão difícil assim, mas quando não temos aquilo que nos faz falta, aquilo que nos fazia sorrir mesmo verdadeiramente, a motivação de todos os dias levantar com vontade de viver mais um dia, aquilo que temos mesmo saudades… até as coisas mais simples, como respirar, já vai parecer difícil.


Estou consciente de tudo aquilo que devia ter feito e não fiz, aquilo que fiz e não devia ter feito, estou consciente de todas as palavras, de todos os gestos, de todos os acontecimentos… e não é por isso que hoje me lamento de tudo, pois lamentar a ausência do sol em plena noite não vai fazer com que ele apareça, continuo me valorizando. Tive momentos altos, tive momentos baixos, como toda gente sempre tem, e a força dos altos fez com que os baixos fizessem-se sentir menos importantes. Mas nunca deixaram de ser, nunca foram esquecidos também. Não foram relembrados entre palavras, mas acompanharam-me sempre no pensamento. Posso não ser um orgulho para ti, mas mais importante que isso, eu sou um orgulho para mim… por todos os dias que caí e levantei, de todas as dores que suportei e mesmo assim lutei… por um próximo dia ainda melhor. Reconheço as consequências dos meus atos, considerando-as injustas, tal como o resto da vida… não tenho outra opção senão aceitar e viver o castigo da minha imaginação e da minha esperança, do me querer, do meu oferecer, do meu amar e procurar ser amado de volta e ser igualmente reconquistado,  não tenho outra opção senão viver este castigo em plenos dias escuros. Mas lamentar não é alimento para nenhuma força, por isso, estou sofrendo mas estou de pé, de cara virada para o mundo, invejando muito daquilo que outros seres humanos tem e eu não tenho, e também tendo em mente todos os maiores problemas que milhões de humanos tem, que eu não tenho. Ontem vivia no sonho, alias tenho vivido no sonho, mas hoje eu vou tentar não adormecer mais, estou consciente de tudo aquilo que eu acreditava, que hoje só possível com a cabeça na almofada, sem luz, madrugada, musica e imaginação. Estou um pouco perdido no mundo, sem direcção mas vou apenas viver com quem quer viver comigo e quem merece o meu esforço, procurar o sucesso e não me conformar com coisas que estão a baixo do que mereço. 


Não sei mais onde estou, não sei o que vem atrás, não sei o que está para vir, mas o que realmente sei é que estou cansado. De tudo aquilo que não vem ou se  calhar de tudo aquilo que desapareceu. Em todas as minhas fases negativas eu procurei retirar um peso maior de conhecimento da vida do que o real peso do sofrimento… em todas as minhas recuperações reconheci força em mim mesmo, aprendi muito sim. Não sou melhor que ninguém, e por isso mesmo ninguém pode dizer que me faço sentir superior, seja a quem for, pois eu sei que toda gente que tem frieza, tem passado e nunca precisei de pisar ninguém para chegar aonde quero. Não gosto de me sentir superior a ninguém, mas também não gosto de me sentir abaixo de ninguém. Não gosto de ficar com coisas por dizer… mas por vezes faço-o, faço-o por amor. Conheço histórias bem piores é verdade, não passo de apenas um rapaz com 16 anos é verdade, mas isso não quer dizer que não tenha passado, isso não quer dizer que o meu dia-a-dia não me desconforte, não quer dizer que não esteja cansado, não quer dizer que não existam motivos suficientemente fortes para cair, não quer dizer que eu não saiba amar… talvez que não saiba lidar com uma relação ou que não saiba cuidar de alguém. Eu acho que a vida é complicada, mas grande parte dessa complicação é criada por cada um de nós. No geral todos nós temos um lado forte, e divertido, e um lado mais sensível, que é tocado muito facilmente por quem gostamos. Depois é que vem o que nos diferencia a todos que é a forma como lidamos com o que nos afecta, a forma como conseguimos esconder ao mundo o que nos incomoda, o que nos vai no pensamento. Como? Como é possível algo que ontem era a iluminação de tudo, era o maior brilho, hoje vive se apagando tão fácil assim? Fico horas a pensar e a tentar encontrar o meu maior erro, uma explicação para todos os meus dias…. para todos os acontecimentos… 


Em qualquer parte do mundo, achamos alguém, em qualquer parte do mundo encontramos pessoas, pessoas diferentes, com opiniões diferentes, sonhos diferentes, objetivos diferentes, formas de viver diferentes… mas dentro de cada um de nós, tem um coração, tem uma opinião, tem escolhas, tem passado, tem uma forma de viver, tem sentimentos, e isto sim, faz de nós humanos. E humanos sofrem, humanos lutam, caem, sorriem, choram, concordam, discordam, discutem, acarinham-se, apoiam-se, insultam-se, odeiam-se, amam-se… são humanos. Vivo esperando por aquele dia em que todos os nossos defeitos e qualidades se consigam entrelaçar com a mesma facilidade que nossos dedos se entrelaçaram antes. Hoje alguém me disse que viver é sonhar, e sonhar é viver, gostei e fiquei pensando e para mim sonhar e realizar é viver bem, e viver bem não é para qualquer pessoa, pois eu poderia traçar o objetivo de acender uma vela mas existe sempre a possibilidade de essa mesma vela ser apagada por outro alguém ou pelo próprio vento, a menos que seja protegida…. e a vida acho que é basicamente isso, é para pessoas corajosas, com força, com opinião própria, com objetivos (…) é alguém capaz de saber proteger as escolhas, os objetivos que traça, tendo em conta todos os contras que se atravessem no caminho. E na minha opinião, quem consegue proteger e segurar o seu mundo de forma verdadeira e honesta é alguém que possui muita coragem.

Esta noite eu percebi que aquilo que é mais belo é tudo aquilo que vemos nos filmes, é o melhor do nosso passado, são histórias contadas, inventadas, ou vividas, mas são histórias. É difícil para mim quando penso nos momentos que podem não mais se repetir, é difícil para mim quando penso nas palavras que escutei em voz suave, em tom de paixão. Será que luto por algo perdido? Será que estou a procurar o que esta vazio? Será que fiquei sozinho no mundo que era de nós os dois?  Sim estou cheio de perguntas, estou cheio de duvidas, não encontro respostas para mim mesmo. Não me acho com razão, não me acho sem razão, não me acho justo, não me acho injusto, não me acho merecedor, não me acho nada. Todos me falam sempre uma solução, fugir do que nos faz mal, fugir daquilo que nos impede de caminhar, mas ainda ninguém entendeu que aquilo que me impede é a única mesma coisa que é capaz de me fazer caminhar e viver, sorrir com vontade não com dificuldade, ninguém entendeu que estou a viver algo diferente, que não é um obstáculo  que é um mundo novo, ninguém entendeu que não tem caminho para trás, e não tem caminho para a frente sozinho. É muito mais que uma fase, é muito mais que um problema, é muito mais que uma paixão, é muito mais … e só eu sei o que vai dentro de mim, só eu sei o que a minha alma me diz todos os dias. Penso que toda gente já viveu momentos em que dá vontade, quero eu dizer, não dá vontade de nada, só de sentar num canto, ouvir um pouco de musica e aceitar a própria derrota. Palavras podem mesmo provocar variados sentimentos, revoltas, raiva, amor, paixão, tristeza, alegria  mas nunca vai fazer-se sentir mais que um sorriso, um olhar… a escrita, as palavras escritas tem um valor para mim sim, mas nunca palavras vão conseguir provar o amor de ninguém, o que vai dentro de nós. Tal como o olhar e o sorriso… o silêncio pode falar muito mais que a tua voz, pode falar muito mais do que as tuas palavras, a ausência da tua resposta às minhas palavras, a ausência do teu olhar ao meu, fala muito mais que qualquer palavra. 



A força de querer recuperar tudo aquilo que já tive é mais forte que todos os motivos em força contrária. Não sei o que pensas mas reconheço o teu sentimento, atrás das tuas palavras, do teu rosto, do teu olhar. Deixo o mundo para trás não apenas por querer mas sim porque o meu interior não me deixa outra alternativa, porque o meu interior quer voltar ao mundo em que foi feliz, mundo esse que me mostrou o verdadeiro lado bom da vida, a verdadeira recompensa de todas as lutas. A vida é mesmo isso, o inesperado, o imprevisível, pois quando achamos que já vivemos tudo, quando achamos que já sofremos e já ama-mos até ao limite das possibilidades, acontece algo que nos faz perceber que é possível sofrer mais, é possível amar mais. Não estou a querer dizer que já amei assim, estou a querer dizer que ontem eu pensei que amar mais seria impossível  até que chega o dia de hoje e aí eu percebo que hora após hora, vou-te amando sempre mais um pouco.
Perguntam-me se eu não tenho medo do futuro? sim, claro que tenho. Alias eu no fundo acho que toda gente tem medo do dia de amanha, umas pessoas mais, outras menos. Mas como sempre disse e o título do Tumblr fala mesmo disso, eu acredito no meu futuro, acredito que um dia todas as dificuldades vão ser a resposta da minha felicidade, que todos os buracos por quais tropecei vão virar história, não feliz, não triste. Ninguém tem vida perfeita, mas também quem luta, quem esforça, quem dá cara, quem aguenta, quem sonha não tem uma vida preto e branco tanto assim. Não escrevo bem, não escrevo para qualificações, escrevo por desabafo, escrevo porque faze lo é umas das únicas formas de abrir o meu interior e acertar as minhas ideias e a forma a qual devo encarar a vida e caminhar ou cair… Sinto-me um pouco distante de tudo e por difícil que seja perceber, apesar de não te ter aqui comigo eu sinto-te comigo, sempre, mesmo nos maus momentos, mesmo quando estamos chateados, em qualquer altura. Eu gostava de ser o melhor, gostava de ser a melhor companhia, gostava de ser a tua felicidade, gostava de ser o motivo do teu sorriso, gostava fazer-te sentir capaz, fazer-te sentir a pessoa mais perfeita, mostrar-te o valor que tens, que para mim é muito mesmo! Gostava de fazer com que acreditasses no teu futuro, ou no mundo que já foi nosso. Só espero que um dia me leias os olhos e que percebas o que és para mim e o que eu sou contigo. Só espero que um dia eu seja tudo aquilo que és para mim.  

Dois dias, são sempre mais que dois dias. Duas horas são muito mais que duras horas. Dois sentimentos são muito mais que dois sentimentos, tudo é sempre mais que simples, dependendo da visão e do orgulho de cada um. Ninguém consegue abrir uma fechadura a bem, sem uma chave. Só quando o desastre chega é que o orgulho parte e a razão vem a cima de tudo, junto da valorização. 


Saudade?
Sim é verdade, eu sinto muita saudade, principalmente daquilo que eu sei que não vou ter mais. Saudade de todos os momentos em que subi bem alto, de todos os momentos em que fui feliz, de partilhar todo sentimento. De partilhar todo o toque e todo abraço, saudade de todo beijo, de todo olhar… Saudade do brilho dos teus olhos, de respirar a tua felicidade. De caminhar junto, de inventar o frio só para te poder abraçar sem soltar mais.  A minha saudade é mesmo isso, querer recusar o presente e viajar ao passado, passado esse que não passou e que nunca passará, pelo menos dentro de mim. Nunca ninguém vai retirar tudo aquilo que eu vivi, não é apenas um passado é o meu passado ou talvez o nosso. Espero que tudo isto não seja esquecido.




Não sei onde estou, sinto-me um bocado perdido, sinto-me no meio de nada… Onde parece que para todo o lado que olho está escrito tudo aquilo que eu não tenho, mas que já tive… Hoje não estou na estrada que gostava de caminhar, estou na estrada para qual a vida me empurrou, estrada essa que as saídas são muito limitadas. Situasse num mundo diferente, num mundo que eu desconhecia, que não sei lidar. Onde vai terminar?  Será um obstáculo? Ou será que já terminou? 
Estou conhecendo um eu que nem eu sabia que existia, ou se calhar não existia, foi nascendo com tudo que me arrastou até aqui. Acho que eu, já nem sou mais eu. 







Não sei como, nem porque, mas o sentimento gerou uma mudança repentina no mundo, mudou visão, objectivos, motivação e juntou a ultima peça do grande sonho. Não sei como, nem porque mas o sentimento tomou posse de mim, das minhas forças, da minha independência, tomou posse de mim. Cresceu e conheci o real mundo e verdadeiro onde gostava de viver… Por vezes paro a pensar, como eu vivia antes de o conhecer? Porque vivia e agora não consigo? Porque antes vivia sem e agora só vivo com ? Porque ? 
Nem tudo que parece é, e por vezes parece que a gente esqueceu, mas na verdade não sai da cabeça um único segundo. E garantido é, que estará sempre até ao último bater do coração. É verdade que a gente não escolhe a vida que tem, a gente escolhe sim os caminhos que pode seguir mas todo mundo sabe que ninguém consegue ver o que esta no fundo da estrada, caminhei, lutei, eu sonhei mas e agora?

sábado, 2 de março de 2013






Quando temos um sonho, criamos tudo direitinho na nossa cabeça, cada detalhe e cada conquista, cada passo…Mas, quando resolvemos pôr em prática e dá tudo errado,  aí percebemos que não somos capazes de realizar qualquer coisa… É aí que entra a tal da desilusão… Não parte apenas de quem está do outro lado, mas sim dentro de nós mesmos, a incapacidade de viver de forma certa… de fazer as escolhas certas…Talvez até pode muita coisa ter mudado, até pode existir a chamada distância, mas existirá sempre uma voz interior a dizer-me que o amor existe! Eu até sei que o melhor é ficar longe dela, mas isso não apaga cada segundo que me senti vivo, mais que vivo, feliz … Apesar de tudo eu sei que não vou gostar de ninguém como dela, não me sentirei completo de novo, posso até voltar a sorrir, mas não vou sorrir com o coração como sorri anteriormente. O futuro é incerto, e até pode entrar muita gente na minha vida, mas nunca ninguém vai ter de mim aquilo que eu estava disposto a dar. Ninguém vai ter o meu amor e fazer existir a felicidade como ela, porque querer e sonhar é diferente. O meu sonho deixou de me pertencer, o meu sonho foi levado pelo vento… luta? sim houve, e quem dá tudo, nada mais pode dar e o valor pode ser pouco a olhos de muita gente mas pouco valor, é valor, pena que isso não tenha sido visto e entrado em jogo…  não dependendo de tudo que a vida me traga sendo alegrias a desilusões, uma grande parte de mim pertence-lhe, e irá pertencer sempre, mesmo eu querendo ou não.